CAPÍTULO 28

Mais uma carcaça encontrada.
Outro animal abatido inconseqüentemente e de forma covarde, e novamente, ele não viu nada. Uma sensação mista entre raiva e incapacidade se abatia sobre si a cada novo animal que encontrava tombado morto, mas Anzu não conseguia fiscalizar todos os grupos de remoção.
Foram formados quatro grupos, que tomavam direções divergentes, e Anzu está só. Em nenhum dos grupos que ele acompanhou, houve a morte de animais, havia sim o recolhimento das criaturas perigosas que eram então soltas em outros locais, longe da cidade e das minas, da forma como o Chanceler havia lhe prometido. Mas sempre apareciam cadáveres e, sempre quando não estava presente.
Tem certeza que é obra dos grupos de remoção, nitidamente os animais foram mortos com armas Anunnakis, mas Anzu não tem como fiscalizar todos, e nem como provar que o abate indiscriminado dos animais é mesmo, culpa deles.
Se conseguisse ajuda, mais pessoas interessadas em salvar os animais, mas em Nippur não havia mais ninguém, não se importam, já que o planeta não é realmente seu. Já havia feito contato com seus amigos ambientalistas em Nibiru. Muitos mostraram interesse pela causa e viriam para Nippur, logicamente com documentos falsos já que ambientalistas não conseguem autorização para realizar a viagem, mas precisava esperar a aproximação da órbita.
Anzu só não tem certeza se sobrarão animais para serem protegidos até lá...

***

- Senhor Chanceler - Falou o chefe da Guarda de Nippur em reunião extraordinária com Enlil -, recebemos mais queixas sobre o comportamento dos Lulus!
- Como isso é possível? – Perguntou o Chanceler - Eles são seres dóceis.
- Sim senhor, eles são extremamente inofensivos – respondeu o chefe da Guarda -, desde que não envolva sua prole. Caso seus filhos estejam ameaçados, eles perdem o controle. Fazem qualquer coisa para defendê-los, até mesmo atacar um Anunnaki.
O Chanceler levantou-se de sua poltrona e começou a andar pelo seu escritório, pensando no assunto.
- Não devíamos ter lhes dado a capacidade de reprodução. – Falou o Chanceler - Quisemos baratear a criação e deu nisso. Agora temos fêmeas grávidas dos Anunnakis, pouca reprodução entre os casais Lulus, já que, não querem filhos tendo o mesmo destino que eles, e agora ainda este protecionismo para os poucos que nascem. – E concluiu - Punição exemplar neles!
- Senhor, esta atitude não está trazendo resultados satisfatórios. - respondeu o chefe da Guarda - Além dos Anunnakis não ficarem satisfeitos por perderem seus trabalhadores, ainda está ocorrendo protestos por parte dos outros Lulus, que se recusando a trabalhar em solidariedade aos seus.
- Matem-nos todos – gritou o Chanceler -, todos estes desordeiros, não importa se são machos, fêmeas ou crianças, matem todos. O Estado irá repor os trabalhadores perdidos aos seus donos, não haverá prejuízo.
- É por isso que estou aqui, lhe trazendo mais esta preocupação, senhor. – Falou humildemente o chefe da Guarda, preocupado em parecer incompetente - Já fizemos isto e, foi pior. Quando a noticia da morte se espalhou, tivemos paralisação de quase todos os Lulus de Nippur, todos os que souberam da notícia.
- Era só o que me faltava! - Gritou nervoso o Chanceler dando um murro sobre a mesa - Quem eles pensam que são? Nós os criamos, eles nos devem obediência!
Enlil ficou calado por alguns segundos, pensando, depois completou:
- Eu vou resolver isto com urgência, avise a todos que tratarei pessoalmente deste assunto. E cuide para que, pelo menos por enquanto, não haja maus tratos contra as proles, infelizmente precisamos da mão de obra deles. Pode se retirar.
Na verdade Enlil só falou que iria resolver o problema para se livrar do Chefe da Guarda. Ele realmente não sabe o que fazer, sabe que esta é uma situação complexa. Alguns indivíduos são facilmente contidos, basta usar a força e o medo e, se ainda assim não resolver, é só eliminá-los. Mas quando são muitos, unidos, sua força multiplica exponencialmente e se o seu trabalho é indispensável, ai sim, conseguem tudo o que querem.
Foi assim, através de uma mobilização completa, que os mineiros Anunnakis conseguiram antecipar a criação dos Lulus, e quase frustraram os planos do Chanceler. Mas, na visão do Chanceler, apesar de serem mineiros burros, ainda assim, são Anunnakis, e possuem seus direitos.
Já os Lulus, estes não tem direito nenhum, só existem graças aos Anunnakis e, para servi-los.